SURGIU UM BLOQUEIO CRIATIVO E AGORA?

 

A prática da escrita é um exercício saboroso, mas por vezes pode tornar-se um pesadelo amargo. Dentre as inúmeras delícias, existem algumas dores, sendo o bloqueio na escrita o maior deles, deveras o provável causador de muita angústia e sofrimento. Uma boa alternativa nesses momentos tortuosos é o livro Desbloqueio Criativo: como soltar a imaginação da jornalista, crítica literária e professora universitária Ronize Aline.

Já na introdução a escritora lembra Edgar Allan Poe, quando este chamava de mal da meia-noite o bloqueio criativo que impede uma escrita e ainda salienta que essa situação pode durar décadas, anos ou apenas dias. Dessa forma o maior carrasco de um escritor renomado ou iniciante, é uma página em branco. E mesmo para quem ainda não passou por essa experiência, é de grande valia saber algumas técnicas para desobstruir a criatividade.

Essas práticas, segundo a autora são oriundas de suas pesquisas e experiências com escrita. Dentre elas, existem algumas que preconizam afastar o bloqueio antes mesmo que ele aconteça, uma delas é a escrita livre, que conceitua-se em escolher um lugar confortável com uma caneta e várias folhas de papel a disposição. Libertar-se dos relógios, mas controlar o tempo através de um ajuste no despertador, definindo também quantas horas de exercício.

É preciso escrever o que vier a mente, por mais sem sentido que pareça, o importante é não parar a escrita. Após o despertador interromper o transe do de texto fluído, é preciso ler o que está escrito e separar os elementos de relevância e estes podem ser o ponto de partida de uma pequena história ou conto.

Todo este material escrito pode servir para outra técnica, a caixa de ideias. Esta se caracteriza por selecionar o tema central e listar os parâmetros que guiaram o texto pretendido. Certamente surgirão coisas possíveis e outras inimagináveis, mas ao final apareceram vários elementos a serem considerados. Esses são apenas alguns tópicos, que podem ajudar quem enfrenta esse presságio neste momento ou futuramente. O importante é não esquecer que é possível exercitar a criatividade e que ela pode nos levar a mundos e teorias fascinantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *