> Em destaque!  > Poesia, ficção e realidade

Poesia, ficção e realidade

Mês de Março, nesse mês, comemoramos o Dia Internacional da Mulher. E euzinha irei falar sobre três escritoras resumidamente, e três livros de estilos completamente diferente. Uma delas, provavelmente vocês já ouviram falar, Ilana Casoy.

Ilana, nada mais é do que, uma especialista em criminologia, especialmente em Serial Killers, e escritora A_PROVA_E_A_TESTEMUNHA_1282228114Bbrasileira. Ela já escreveu vários livros sobre esse assunto, já fez estágio na polícia científica. Foi colaboradora na série escrita por Glória Perez, Dupla Identidade. Colaborou também, com o site do canal Discovery nos anos de 2012 e 2013. Dois de seus livros são sobre casos que ficaram famosos no Brasil, como o caso do casal Richthofen (O Quinto elemento), e A Prova e a Testemunha (nosso livro da vez). Esse livro é um relato sobre o caso Nardoni, e o livro já começa assim:

Era uma vez…

Uma menina de quase seis anos, cuja fotografia estava estampada em todas as reportagens e jornais brasileiros, Isabella de Oliveira Nardoni. Foi jogada pela janela do apartamento de seu pai, Alexandre Alves Nardoni, acusado de defenestrá-la depois de a madrasta, Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá, a esganar, em 29 de março de 2008.”…

Quem não lembra desse crime? Um crime que abalou, praticamente, o Brasil inteiro? Ilana acompanhou esse caso durante dois anos, e foi uma das que presenciou de perto todo o desfecho. Nesse livro, ela narra tudo o que se passou dentro daquele Tribunal, durante o julgamento. Um embate entre defesa e acusação. Se você tem curiosidade em saber o que se passou dentro daquelas paredes durante os 5 dias de julgamento, a Lili recomenda. A riqueza dos detalhes que Ilana dá, a forma que ela descreve tudo, principalmente a reação de Ana Carolina Cunha de Oliveira, mãe de Isabella, enriquece a narrativa, e a leitura flui. Vale a pena conferir.

Agora vamos a nossa segunda escritora de hoje, Hilda Hilst. Nunca ouviu falar? Pois lhe apresento.  Hilda de Almeida Prado Hilst nasceu em 21 de Abril, de 1930, em Jaú, SP, e morreu em 4 de Fevereiro, de 2004, em Campinas, também SP. Ela foi poetisa, ficcionista, cronista e dramaturga (uma pequena observação, é uma escritora maldita, tem um acervo também de escritos pornográficos, “Contos d’escárnio/ Textos grotescos é um desses). Ganhou alguns prêmios como, Prêmio PEN Clube (1962), o Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (1977), e o famoso Prêmio Jabuti (1984). Em 1969, ganhou o Prêmio Anchieta, com sua peça, O Verdugo.BALADAS_1412010311B

Seu primeiro livro publicado foi, Presságio (1950). Em 1964, decide mudar da cidade, e passou a viver na fazenda de sua mãe, onde mais tarde, construiu uma casa, chamada A Casa do Sol, onde seria um espaço de criação e inspiração, que serviu mais tarde também de hospedagem para vários artistas.  Esse é um pequeno resumo da vida dessa escritora, e o livro que vou recomendar para nossos queridos leitores é, Baladas. Nesse livro, está reunido seus três primeiros livros de poemas, Presságio (1950), Balada de Alzira (1951) e Balada do Festival (1955). É um livro bem diferente, o modo como é escrito.

 “Somos humanos e frágeis

Mas antes e tudo, sós.”

Baladas – Hilda Hilst

Fica aqui a dica para quem quer um pouquinho de poesia, e conhecer mais um dos grandes nomes da nossa literatura brasileira.

E por fim, vamos falar de Marcia Kupstas. Também não conheci? Eu também não conhecia… até agora. Formada em Literatura e Língua Portuguesa pela USP, Marcia escrevi desdá época de adolescente, e já tem alguns livros publicados. Também já ganhou alguns prêmios, entre eles, o Prêmio Mercedes- Benz de Literatura Juvenil 1988-   com o Prêmio Revelação com o livro, Crescer é perigoso (seu livro de estreia para o público jovem), e não podia faltar, claro, o Prêmio Jabuti 2005, onde ficou em 2° lugar na categoria Literatura Juvenil. Também escreveu livros para o público adulto: Casos de sedução, que são contos eróticos (1987), e Demônio do computador (1995).DE_TANTO_BATERN_MEU_CORACAO_SE_CANSOU_1255202291B

Vou ser sincera com meus queridos leitores, não conhecia essa escritora.  Ai vocês me perguntam: então como você pode indicar um livro dela? Simples, sabe quando você vai num lugar, e vê um livro e escolhi pela capa, ou pelo título? Pois é, foi assim que a descobri. Num espaço troca de livros, onde frequento, encontrei esse livro que me chamou a atenção, De tanto bater, meu coração cansou (achei o título a minha cara), não pensei duas vezes, e peguei. Ai você tira qual conclusão sobre esse livro, ao ler esse título? Bom, deve ser um romance, onde uma garota, mulher sofre por amor. Infelizmente, meus queridos leitores, não tem nada a ver. O livro fala sobre a história de dois irmãos, Lúcio e Benjamim. Eles são dois jovens negros e pobres. Os dois são sobrinhos de um padre. Padre Leon (esse é seu nome) ao ver a situação dos dois rapazes, consegue duas bolsas de estudos para eles estudarem em um importante colégio de Elite. E é nesse cenário que Marcia, descreve praticamente a realidade da nossa “querida” sociedade. Nesse livro, é tratado o preconceito tanto racial como social (nada daquilo que imaginei, nunca julgue um livro pela capa ou pelo título). A narrativa é simples, e dá para ler rapidinho. É uma leitura que dá o que falar. Recomendo.

Bom, meus queridos, fica aqui a dica da Lili sobre essas três escritoras maravilhosas, espero que tenham gostado. Fica ao critério de vocês escolher entre poesia, ficção ou realidade (sei que vocês vão ler os três, curiosidade matou o gato).

Até a próxima!

 

Lisa Hallowey

 

 

Comments:
  • Flavia Grando
    6 de março de 2017 at 19:11

    Uauu.. Adorei! Lili tá com tudo <3

Leave a reply