O medo da rejeição: escritores, fama e fracasso

O medo de fracassar é, muitas das vezes, a grande razão pela qual milhares de talentos nunca são descobertos. Erros são normais e não é sempre que seremos aceitos por todos de primeira vez, é preciso errar, tentar mais uma vez, cair e levantar. Nenhuma grande obra nasceu sem um trabalho pesado de tentativas e erros e conosco não será diferente.
Algo que eu vejo constantemente nos grupos de discussão de autores iniciantes, ou mesmo que ainda vão iniciar a carreira, são posts e perguntas do estilo: “vocês leriam um livro que tivesse…” ou “se eu escrevesse um livro sobre… vocês leriam?”. É hipocrisia dizer que o autor escreve para não ser lido, todos queremos ter nosso trabalho valorizado, entendido e repassado, senão ele ainda estaria escondido em uma gaveta e voltaríamos para o ponto inicial deste texto. O que estou querendo dizer é que existem muitas variáveis a serem consideradas quando falamos do medo de escrever e, principalmente, publicar os nossos textos, é como se estivéssemos revelando uma parte muito íntima de nossas vidas e, obviamente, tememos ser rejeitados por isso, entretanto é preciso ter algumas coisas em mente.
Antes de mais nada, se você não sabe sobre o que escrever e quer apenas escrever algo com base no que as pessoas leriam, está no caminho errado. Sempre vai ter gente para detestar o que escrevemos, por isso é necessário que os nossos textos sejam frutos do nossa vontade, do nosso estilo e do que gostamos, obviamente sem desrespeitar ninguém. Portanto, não procure produzir já pensando se vão te aceitar ou não, ou mesmo a partir do que as pessoas mais gostam de ler, às vezes são temas, assuntos e gêneros que você detesta e para que, afinal, você faria isso? Literatura é prazer, tanto para o leitor quanto, e principalmente, para o escritor. Ótimo, você já definiu quais são seus temas e modo de escrita favoritos, agora vêm as ideias. Deixe elas fluírem, escreva, apague, recomece, apague outra vez e faça uma milésima tentativa, a frustração às vezes se faz presente, mas é preciso combatê-la caso você queira chegar no seu objetivo. Depois de ter conseguido chegar a um texto final, seja alguns capítulos ou um livro inteiro, vem, talvez, a parte mais difícil: mostrar para os outros. Caso não se sinta à vontade para já divulgar de primeira os seus trabalhos, dê uma olhada no meu texto sobre leitores beta, talve seja útil. Pode ser que demore para os resultados chegarem, dias, semanas, meses ou mesmo anos, mas seja corajoso! Continue escrevendo, se aperfeiçoando, treinando e continuando. Em um país onde é muito difícil para a maioria dos escritores viver de seus livros, é sempre bom ressaltar que sim, é necessário seguir nossos sonhos, mas nunca devemos deixar de ter um plano B, uma outra fonte de renda para não ficarmos sem saída.
Então, vai tirar do fundo da cabeça aquela ideia? Tirar do fundo da gaveta, ou daquela pasta esquecida no computador, aquele texto que já foi escrito há eras, mas que nunca ninguém viu? Dê uma revisada, peça ajuda e continue seu caminho, ainda há muito por vir.

2 thoughts on “O medo da rejeição: escritores, fama e fracasso

  1. Quando escrevemos, estamos expostos e sujeitos à críticas o tempo todo. Algumas ajudam e as que não tem essa função devem ser ignoradas. Não dá para agradar a todos, mas não podemos deixar de ouvir aquelas que nos ajudam sob pena de permanecermos no erro, sem aprender e sem evoluir. Mais um excelente artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *