Música e Literatura

by:

Lisa HalloweyLiteratura

Por, Lisa Hallowey

 

Com certeza, você já ouviu falar no clássico da nossa literatura brasileira, Macunaíma, de Mário de Andrade. Se não ouviu, não se preocupe, se você for fazer vestibular vai ouvir falar. Ele é um dos romances mais importantes da época do modernismo. O livro foi lançado, em 1928. Nesse livro, Mário cria uma linguagem diferente, usando lendas indígenas, folclore brasileiro, provérbios, religião. Em Macunaíma, Andrade não segue uma narrativa tradicional, com a qual estamos acostumados. Ele quer valorizar o povo brasileiro, aproximando a linguagem escrita da linguagem falada, criando uma nova linguagem literária.

Nesse livro, o personagem principal é nada mais, nada menos, do que, um indiozinho sem nenhum caráter, preguiçoso, mentiroso que gosta de falar palavrões. Macunaíma é seu nome. Ele nasceu em uma tribo amazônica.  Tem dois irmãos, Maanape e Jiguê.

Macunaíma se apaixona por Ci, e tem um filho com ela que morre. Ci também morre, mas antes lhe dá um amuleto (a muiraquitã), que ele perde, e que vai parar nas mãos do gigante Piaimã, que come gente. O gigante mora em São Paulo, é a partir daí que começa as aventuras desse herói sem caráter. Ele vai para a cidade junto com seus irmãos, para tentar resgatar seu amuleto. Mas seu plano falha, e ele foge para o Rio. Mas não para por ai, Nosso indiozinho viaja por vários lugares, até conseguir recuperar sua pedra. E quando consegue, retorna para sua tribo, onde conhece a deusa sol, Vei, e promete casamento com uma de suas filhas. Só que como ele não tem caráter nenhum, acaba traindo a deusa, e essa, por sua vez, se vinga fazendo uma armadilha, usando o monstro uiara.

Quando Macunaíma vê na lagoa a uiara, logo é seduzido, mas o monstro traiçoeiro o mutila. Ele perde suas pernas e seu amuleto. Cansado de tudo, da solidão, ele vai para o céu e transforma-se na Constelação Ursa Maior.

Esse é o resumo do nosso livro, um dos clássicos da literatura brasileira. Mas, e a música? Onde ela entra nessa história?

Bom, agora lhe pergunto, você conhece a cantora Clara Nunes? Não?

Pois vou falar um pouquinho sobre ela. Clara Francisca Gonçalves Pinheiro, mais conhecida como Clara Nunes, nasceu dia 12 de agosto de 1942, no estado de Minas Gerais. Uma das maiores interpretes da música popular brasileira, foi uma das cantoras que mais gravou canções da Portela. Também foi a primeira cantora brasileira a vender mais de 100 mil cópias. Morreu em 2 de Abril de 1983, após uma cirurgia de varizes.

Em 1975, Clara gravou com Silvinho do Pandeiro, (também cantor e compositor, e o primeiro interprete da Portela), um samba enredo chamado, Macunaíma. Essa música é quase um resumo da história de Mario de Andrade.

 

Macunaíma (Clara Nunes)

Vou-me embora, vou-me embora
Eu aqui volto mais não
Vou morar no infinito
E virar constelação

Portela apresenta
Portela apresenta do folclore tradições
Milagres do sertão à mata virgem
Assombrada com mil tentações
Cy, a rainha mãe do mato
Macunaíma fascinou
E ao luar se fez poema
Mas ao filho encarnado
Toda maldição legou

Macunaíma índio, branco, catimbeiro
Negro, sonso, feiticeiro
Mata a cobra e dá um nó

Cy em forma de estrela
A Macunaíma dá
Um talismã que ele perde e sai a vagar
Canta o uirapuru e encanta
Liberta a magoa do seu triste coração
Negrinho do pastoreio foi a sua salvação
E derrotando o gigante
Era o marques Piaimã
Macunaíma volta com a muiraquitã
Marupiara na luta e no amor
Quando sua pedra para sempre o monstro levou
O nosso herói assim cantou

Vale a pena conferir o livro, como ouvir essa canção.

One Reply to “Música e Literatura”

  1. Joyce Roberta disse:

    Clara Nunes <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *