Entrevista com a editora de marketing da Editora Guardião – Roberta Pauletich

by:

Em destaque!EntrevistasMercado EditorialPerla de Castro

Olá queridos leitores/escritores. Como vão?

A Revista Litere-se traz para vocês o início de uma parceria incrível com  a Guardião Editora. Para darmos início aos trabalhos, começaremos apresentando a Roberta Pauletich  que tem uma trajetória profissional incrível e é Editora de Marketing da Guardião. Aproveitem a entrevista e fiquem preparados que ainda vem muita novidade boa por aí!

foto2 (1)

 

Perla de Castro – Conte um pouco sobre sua trajetória. E sobre como os livros entraram em sua vida.

Roberta Pauletich – Me formei Designer Gráfico em 2007 e trabalhei com o Designer Alex Chacon foto_perfil3por 4 anos. Fizemos todos os tipos de trabalhos gráficos, de coleções de livros, passando por animações digitais até mega exposições. Além disso, trabalhávamos diretamente com a gráfica Burti, uma das mais prestigiadas de São Paulo. Chacon era muito exigente com os impressos , portanto foi um grande professor, aprendi muito com ele. Fiz pós-graduação em mídias Interativas na IFNET, e enveredei para o ramo de videografismo, uma outra paixão além dos livros, que hoje aplico também fazendo Booktrailers.

Na época, meu marido Paulo Ballado, que sempre gostou de escrever histórias de Terror, propôs um livro de contos e começou a contatar diversas pessoas pelo Brasil. Daí surgiu o primeiro livro da Guardião “O Lado Sombrio”, mas como não tínhamos o selo e a editora formalizada, fizemos pela editora do amigo Bruno Garcia, e então este livro saiu pelo selo da BRV.  Eu queria que esse livro tivesse um diferencial no seu projeto gráfico, apesar de ser um livro simples, pois também não podíamos gastar muito. Por isso chamamos a Lorena Kaz como ilustradora e trabalhei com grafismos e recursos para as pessoas se localizarem melhor dentro do livro. Denis Melo, nos presenteou com um quadro baseado no último conto que se tornou a capa deste 1º livro.

Quatro anos depois, tivemos a ideia de lançar o segundo livro, “Dias Não tão mortos”, que contava as histórias de sobreviventes de um Apocalipse Zumbi. Novamente recorremos ao amigo Bruno Garcia e sua Editora, a BRV.

Pouco tempo depois a BRV fechou as portas, no momento em que lançaríamos o nosso terceiro livro com eles. Dai veio a oportunidade de abrir a minha própria Editora, a Guardião.

Perla de Castro – Qual sua visão sobre o mercado editorial no Brasil?

Roberta Pauletich – Para as editoras iniciantes não é fácil. As grandes livrarias trabalham com distribuidores, o que dificulta muito o acesso das editoras menores a elas. Há de se ter um preço de produção do livro muito baixo para revenda, e só se consegue isso, com grandes tiragens. As editoras que trabalham com impressão por demanda ou pequenas tiragens têm dificuldade de conseguir preços acessíveis. Muitas vezes o livro fica tão caro que não compensa colocar em livrarias, pois a maioria delas fica com 50% do seu preço de capa. Ainda tem aquelas que pedem pra deixar poucas quantidades de livros em consignação e só acertam contigo 6 meses depois, quando acertam e você tem que ficar cobrando. Uma alternativa às livrarias para as editoras menores é vender seus livros pela internet ou feiras literárias e outros eventos afins.

Perla de Castro – Nos apresente a Guardião Editora. logo guardião

Roberta Pauletich – A Guardião é uma editora jovem, criada em meados de 2015 e que já possui obras de autores e ilustradores renomados. Sua missão é dar oportunidade a novos autores de lançarem seus livros, com um projeto gráfico diferenciado, sempre primando pela qualidade de edição e impressão, possibilitando assim, que esses novos autores realizem seus sonhos de publicar suas obras, e abraçando autores já consagrados. Nosso diferencial também está no contato com o autor. Sempre vemos os autores como nossos parceiros, nossa atenção para ele é total, sempre informamos o posicionamento do trabalho e decidimos em conjunto.

Perla de Castro – Como editora de marketing e designer gráfico da Guardião Editora, nos fale um pouco de como é o processo de criação da imagem e identidade de um livro.

Roberta Pauletich – Cada livro é único pra mim. Cada um tem um briefing, e cada história merece ser diferenciada em seu projeto gráfico. A criação começa na leitura da obra e a partir dela vejo quais sentimentos me despertam. Em união com o Editor e o Autor, pensamos em como contar aquela história, se utilizaremos grafismos, ilustrações, recursos diferenciados de diagramação ou qualquer outra opção viável de acordo com o orçamento. A partir do conceito formado, posso definir o projeto gráfico: tamanho do livro, forma de índice (ou não), forma como os capítulos vão entrar no livro, tamanho de texto, quantidade de páginas, grafismos utilizados, capa e etc.

Perla de Castro – O que faz uma editora ler um original?

Roberta Pauletich – Mesmo ainda não sendo uma Editora de grande porte, a Guardião já recebe muitos originais a cada mês. Por isso, temos uma equipe responsável por avaliar as obras. Todos os autores que enviam os originais para a Guardião são respondidos.

Um release ou sinopse da obra, em que o autor faça um breve resumo da temática, também ajuda bastante para sabermos qual editor o acompanhará.

Perla de Castro – Com sua experiência com a Guardião Editora, quais são os principais erros dos escritores ao submeter seu original à editora?

Roberta Pauletich – Acho que uma parte muito importante é a pesquisa que o autor precisa fazer para entender se a Editora trabalha com o tipo de temática que o autor escreve.

Exemplificando; Imagine um autor que escreve contos de Terror Gótico Medieval. Ele nem precisa perder seu tempo enviando esta obra para uma editora que só publique livros acadêmicos, ou religiosos, ou alguma editora que só publique enlatados (Sucessos internacionais).

Saber que a Editora trabalha com a sua temática é meio caminho andado e geralmente ouço muitos autores (até autores famosos) dizendo que receberam inúmeras negativas até lançarem seus primeiros livros. Então não desistam!

É importante enviar o livro já 100% escrito (sim, recebemos muitos livros incompletos).

Fazer uma revisão semântica e ortográfica inicial também ajuda muito.

No caso do livro ter alguma ilustração ou fotografia, enviar apenas imagens em que o autor tenha os direitos.

Ter um briefing do livro ou uma apresentação junto com o envio do original, também ajuda muito.

Os erros técnicos são extremamente comuns, do tipo: Enviar imagens no meio do texto do Word, mas não ter depois estas imagens separadas do arquivo word em boa resolução para imprimir.

Perla de Castro – Quais os planos da Guardião Editora para 2017?

Roberta Pauletich – Começamos o ano muito bem, já fechando parcerias com inúmeros autores e programando diversos livros. Também recebemos menção Honrosa na ABRAHQ (Associação Brasileira de Histórias em Quadrinhos) pelo trabalho social da Guardião com a obra High Deathnition.

Desde o final de 2016, aumentamos a nossa participação em diversos eventos temáticos, o que pretendemos expandir ainda mais este ano.

Paralelo a isso, recebemos o reforço de um Gerente de Divulgação e Novos Negócios, que irá trabalhar a venda dos livros em livrarias e escolas.

Daremos continuidade a série High Deathnition de Fábio Chibi e teremos a segunda antologia de contos de terror em parceria com o coletivo Casa do Medo.

Perla de Castro – Que dica daria para os escritores que mantém seus livros engavetados?

Roberta Pauletich – Os livros nunca são lançados, eles simplesmente escapam dos computadores e ganham os papéis. Rsrs

Se você autor ficar relendo e revisando seu livro eternamente, nunca irá terminar, porque sempre vai resolver reescrever alguma parte ou mudar outra.

Deixe com que seu original “fuja” do seu computador e ganhe o mundo, sem esquecer de tomar a precaução de registrar o original no escritório de direitos autorais da Biblioteca Nacional.

Perla de Castro – Fale um pouco sobre seu primeiro livro . O que podemos esperar?

Roberta Pauletich – É um livro infantil, uma história celta, sobre uma anciã. Ensina o respeito à sabedoria dos mais velhos. Este livro é para ser trabalhado nas escolas e deve chegar as lojas no segundo semestre de 2017.

Perla de Castro – Alguma dica para o escritor que desejar entrar agora para o mercado literário? 

Roberta Pauletich – A maior parte dos autores mundialmente famosos do passado morreram sem vislumbrar o sucesso que fariam posteriormente. Fazer sucesso hoje em dia é uma questão de sorte e nicho. Saiba agir no local certo e no momento certo.

O que vemos, são autores que trabalham muito seus livros, colocando-os “em baixo do braço” e saindo para vender.

É muito difícil uma editora grande pegar um projeto de um novo autor sem que ele seja conhecido (claro que os Youtubers hoje em dia lançam muitos livros, mas eles já são sucesso na internet e tem seu público alvo cativo).

Inicialmente não espere que você vá vender milhões no lançamento. Sua obra pode fazer muito sucesso, mas vai depender também de seu esforço em divulga-la. Autores que se conectam, que participam e estão presentes nos eventos, escolas e outros lugares conseguem brilhar.

 

Perla de Castro – Deixe uma mensagem para nossos leitores. 

Roberta Pauletich –  Aquele autor que escreve o livro e fica em casa só recebendo os royalties, praticamente não existe mais, corra atrás dos seus sonhos.

Não será fácil, mas será extremamente prazeroso colher as pequenas e futuramente grandes vitórias que acontecerão.

Escrever é prática e rotina, dediquem seu tempo em escrever e ler outros livros. Somente um bom leitor poderá ser um bom escritor.

Mandem suas obras para análise, não fiquem reescrevendo milhares de vezes. Deem como terminado.

Autores-estrelas, brilhem!

 

foto3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *