Conheça Perla de Castro!

11990421_874877955921899_679310118336831414_nHoje começamos uma nova série de colunas! Vamos conhecer mais sobre nossa equipe tão especial de colunistas! Preparamos 10 perguntas para sabermos mais sobre as pessoas que produzem nosso conteúdo que tem feito tanto sucesso entre leitores, autores iniciantes e até autores mais experientes!

E quem melhor pra começar do que a pessoa responsável por criar a Litere-se e reunir esse time de escritores incríveis? Uma mulher que não para de pensar em novidades, está sempre buscando novos caminhos para a revista e para a editora, tem mais braços do que um polvo e com disposição para fazer a diferença no mundo literário?

Nossa Editora-Chefe, Perla de Castro!

 

 

1 – Conte um pouco sobre como foi seu começo no mundo dos escritores.

Eu escrevo desde os 11 anos. Aos 12 escrevi minha primeira peça teatral, que foi uma readaptação de Alice no País das Maravilhas, no caso a minha era Alice no País da Matemática. Escrevi e dirigi a peça na escola na época, e foi uma experiência muito bacana e depois disso não parei mais. Cresci me aventurando a escrever contos, poesias e histórias mais longas. Mas a maioria desses textos ficavam  escondidos nos cadernos. Em 2016 eu resolvi deixar a insegurança de lado e comecei a arriscar enviar textos para concursos. Até que me candidatei a uma vaga de colunista no site Vida de Escritor, lá eu teria de escrever artigos sobre literatura. Meu artigo de teste foi o Mulheres das Letras, onde eu falava das mulheres na literatura. E para minha surpresa, com esse artigo eu consegui a vaga no site e escrevo lá até hoje. O Vida de Escritor foi o ponta pé inicial que eu precisava. Aliás, minha coluna no site se chama Litere-se, e foi dessa coluna que me despertou a vontade de criar a Revista Litere-se (que hoje também é Editora). Escrever lá me deu mais segurança para participar de outros concursos etc. E nisso eu consegui publicar contos de terror/suspense em várias antologias da Editora Illuminare e em uma da Chiado Editora.

Depois de ter textos publicados nessas antologias, eu resolvi tirar meus livros solo da gaveta. Então lancei meu primeiro livro de poesias, o Estesia em julho deste ano. E já garanto, novembro chega um romance policial com toques de terror e muito suspense.

 

2 – Lembra qual foi o primeiro livro que você leu?

Ih, já não me lembro. Eu comecei a ler bem pequena. Sempre tive muito incentivo em casa. Eu nasci e fui criada em meio a livros. Ter uma mãe professora de português e literatura me fez desde cedo mergulhar nesse mundo mágico da leitura e escrita.

 

3 – Quais são seu autor, seu gênero e sua obra favoritos?

Dos brasileiros, sem dúvida Clarice Lispector é minha preferida. Os livros Último sopro de vida; A maçã no escuro, A hora da estrela e Paixão segundo G.H. ; são meus preferidos.

Dos brasileiros, leio de tudo um pouco. Amo literatura infantil, terror, suspense, policial, romance, documentários… Dos autores, Ziraldo, Edinei Silvestre, Machado, Chico Buarque,  Luís Fernando Veríssimo, Jorge Amado, Guimarães Rosa, Rubem Fonseca, Monteiro Lobato, Ariano Suassuna, Marcos Peres, César Bravo… ahh tem muitos (risos). Nos internacionais, Carlos Ruiz Zafon, Agatha Christie, Sidney Sheldon, Poe, Dan Brown e por aí vai. Não gosto de me prender em um único gênero ou autor. Sou curiosa e gosto de ler de tudo um pouco.

 

4 – Que tipo de coisas você procura mostrar nas suas obras?

Em tudo que escrevo, tem uma coisa que eu busco sempre fazer. Que é escrever dentro de cenários brasileiros. Acho que falta muito disso nos autores nacionais. Gosto de escrever histórias que se passem em ruas por onde eu já passei, sobre lugares que já fui. Acho que isso ajuda o leitor a se identificar mais com o que está lendo. Isso é o que sempre busco, deixar impregnada a identidade brasileira no que escrevo. Fora isso, gosto de trabalhar muito com a realidade, se preciso eu crio mundos. Mas gosto muito de falar sobre coisas que aconteçam de verdade no dia a dia e que faça quem for ler, pensar, questionar sobre tal situação.

 

5 – Quais são suas influências literárias?

São os escritores que mais leio. Clarice e Zafon, por exemplo.

 

6 – Quais as maiores dificuldades para escrever no dia a dia?

Para mim tem sido encontrar tempo. Pois meus dias são sempre cheios de afazeres da Revista e Editora. Me sobra a madrugada até o começo da manhã para escrever.

 

7 – O que você faria se fosse proibida de escrever?

Ah eu nem sei dizer. Dá desespero só de pensar. Escrever acaba se tornando quase que vital, um dia sem escrever é como se tivesse vivido o dia pela metade.

 

8 – Como você descobriu que queria ser escritora?

Desde pequena eu falava que queria ser escritora ou jornalista. Acho que essa vontade nasceu depois de ouvir minha mãe ler tantos livros para mim quando eu ainda não sabia ler, e eu pensava “Um dia eu vou escrever para alguém ler assim com tanta vontade”. Eu sou meio boba quando se fala em livros, sou extremamente apaixonada por esse mundo da literatura.  É mágico você criar algo e essa sua criação ganhar vários novos olhares.

 

9 – Onde os leitores podem te encontrar?

Podem me encontrar na minha página no Facebook, no meu site e no Instagram onde posto vez em quando um texto lá.

Links: www.perladecastro.com

https://www.instagram.com/perladeecastro/

https://www.facebook.com/perladcastro/

 

10 – Mande um recado para os novos escritores!

Leiam muito, escrevam mais ainda. Não desistam nunca. O caminho é árduo, mas quando a gente pega o nosso sonho publicado em mãos, é a melhor das sensações.  Pratiquem a escrita, estudem formas de melhorar a cada dia. Um escritor nunca está pronto, ele é sempre moldado com o tempo em que ele busca melhoras. Tirem seus sonhos da gaveta, esqueça o “Eu talvez não esteja pronto”, a vida não espera a gente estar pronto. A vida gosta de quem se joga nela. Arrisque e saia da zona de conforto e seja feliz com isso. :)

 

 

4 thoughts on “Conheça Perla de Castro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *