Cartas a um jovem poeta

Em fevereiro de 1903, Rainer Maria Rilke, célebre escritor alemão, recebeu uma carta, de Franz Kappus, aspirante a escritor. Nela, o jovem pedia-lhe conselhos sobre seus textos, e de como agradar as revistas que sempre rejeitavam seus escritos. Rilke respondeu, Kappus mandou outra carta, o escritor enviou resposta…. a correspondência entre os poetas durou até 1908, com inúmeras cartas.

No livro, “Cartas a um jovem poeta”, estão dez dessas maravilhosas cartas, todas escritas por Rainer, e suficientes para entender o contexto de suas palavras. Nas suas prosas, Rilke fala com emoção sobre arte, amor, religião, vida, sobre a necessidade de escrever, entre muitas outras coisas. A obra foi publicada por Kappus em 1929, o escritor morreu três anos antes.

Em sua primeira carta, enviada no dia 17 de fevereiro de 1903, em um trecho, Rainer diz assim: “Volte-se para si mesmo. Investigue o motivo que o impele a escrever; comprove se ele estende as raízes até o ponto mais profundo do seu coração, confesse a si mesmo se o senhor morreria caso fosse proibido de escrever. Sobre tudo isto: pergunte a si mesmo na hora mais silenciosa de sua madrugada: preciso escrever? Desenterre de si mesmo uma resposta profunda. E, se ela for afirmativa, se o senhor for capaz de enfrentar essa pergunta grave com um forte e simples “Preciso”, então construa sua vida de acordo com tal necessidade; sua vida tem de se tornar, até na hora mais indiferente e irrelevante, um sinal e um testemunho desse impulso”. Nessas belíssimas palavras o poeta responde a uma das perguntas de Kappus, e ainda discute sobre a personalidade de seus poemas. A resposta contida nesse trecho é essencial não só para o jovem Franz, mas para todos os novos escritores. Cartas a um jovem poeta, é uma leitura leve e essencial, perfeita para uma tarde tranquila e silenciosa, onde possamos nos permitir refletir e guardar, todas as palavras de Rilke.

image001-9

René Karl Wilhelm Johann Josef Maria Rilke, nasceu em 4 de dezembro de 1875, em Praga. Filho de Josef Rilke e Sophie Entz. Sua infância foi turbulenta, cheia de conflitos. Até os seus cinco anos sua mãe o vestia com roupas femininas para compensar a morte de uma filha recém-nascida. Aos 11 anos ingressou na carreira militar, no entanto a abandona pouco tempo depois.

Seu primeiro livro foi publicado em 1894, “Vida e canções”. Em 1895 entrou para a universidade, onde estudou literatura, filosofia e história da arte. Entre 1895 e 1901, publicou mais cinco livros, no mesmo ano casou-se com Clara Westhoff, com quem teve sua filha, Ruth.

Rilke, escreveu e publicou muitos poemas até sua morte em 1926, devido a leucemia. Postumamente, além de “Cartas a um jovem poeta”, foram publicados: “As Rosas” e “As janelas”. Em sua lápide estão as seguintes palavras, de sua autoria:

“Rosa, ó pura contradição, alegria

De ser o sono de ninguém sob tantas

Pálpebras”.

Sendo considerado, até os dias de hoje, o maior poeta língua alemã do século XX.

 

2 Replies to “Cartas a um jovem poeta”

  1. Jô Siqueira disse:

    É bom saber um pouco mais sobre Rilke, que também divulgo no Facebook. Valeu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *