> Colunistas  > Beatriz de Castro  > Antologias, coletâneas e concursos: saindo da zona de conforto

Antologias, coletâneas e concursos: saindo da zona de conforto

Escrever sobre o que gostamos e percebemos que dá certo é muito masi fácil do que escrever sobre o desconhecido, porém, algumas vezes, esses exercícios podem ajudar. As antologias, coletâneas e concursos, que já fornecem um estilo e um tema prontos, são interessantes para o jovem escritor que ainda está indeciso sobre o gênero que gosta de escrever ou ainda para auxiliar a sair da zona de conforto. Talvez para um(a) escritor(a) de romance seja impensável a ideia de escrever terror, e vice-versa, mas em um concurso ou antologia, descubra que na verdade tem um grande dom para aquilo e que a forma de descrever uma cena romântica se assemelha muito a forma de ter que escrever uma descrição de perseguição: as sensações do corpo, o falhar da mente, o medo do desconhecido… em gênero tão distintos pode haver, sim, uma ligação. Portanto, não deixe para lá uma alternativa que se coloca no seu caminho.

Outra grande vantagem dessas oportunidades é a chance de treinar e se fazer conhecido. O exercício de escrever ajuda a cada dia mais produzir materiais melhores. Quantas vezes já ouvimos falar que as obras posteriores de determinado autor(a) são muito superiores que as iniciais? Foi porque este se dedicou e continuou escrevendo e escrevendo mais um pouco, vendo seus erros e acertos, trabalhando nas dificuldades e investindo nas qualidades. Se o escritor não sabe quais são seus pontos fortes e fracos como vai progredir? E só há uma forma de saber sobre as suas qualidades e deifeitos como escritor: escrevendo, e quando faltam ideias para novas obras, estes concursos dão ideias para temas, auxiliando no ponto de partida para o escritor. Em segundo lugar, é uma forma de começar a ser visto e lido. Além de uma pontada de satisfação por ver seu texto publicado, ou mesmo vitorioso de algum concurso, outros saberão que você escreve e quem sabe não virão novos leitores e oportunidades para escrever ainda mais.

É preciso sair da caixinha, largar o sofá confortável e se aventurar em novos textos e tramas. Pode ser que hoje soe como algo incogitável o que amanhã será seu gênero preferido e a base para sua escrita. Se o escirotr não permite que haja esse encontro, ficará sempre preso às mesmas paredes e técnicas, sem trocar de perspectivas e intenções. Pode ser que você continue odiando o outro gênero, porém ele pode te auxiliar em algo relacionado ao seu favorito ou dar inspiração para personagens e personalidades. Toda experiência, desde que não fira os direitos do outro, é válida, é devemos estar abertos a novas possibilidades.

Comments:
  • Valéria Reis Gravino
    22 de março de 2017 at 12:10

    Estou passando por essa experiência agora e vc tem toda razão! Escrever gêneros diferentes só tem melhorado a minha escrita! Excelente texto!

    • Beatriz de Castro
      25 de março de 2017 at 20:28

      Obrigada! Realmente é um ótimo exercício!

Leave a reply